👉 LINK Aula ON-LINE: https://www.cursoprojetoeletrico.com/

Afinal, qual o cabo correto para usar em um chuveiro de 7500W?

Primeiro Passo: Determinar a Corrente Consumida pelo Chuveiro

Para começar, precisamos saber qual a corrente que este chuveiro irá consumir. Em média, um chuveiro de 7500W é ligado em 220V, já que o máximo de potência encontrada para chuveiros de 127V é de 5500W, conforme especificações de fábrica.

Sabemos a potência (7500W) e a tensão da rede (220V). Agora, vamos consultar a tabela da lei de Ohm. Queremos determinar a corrente, e como temos potência e tensão, basta substituir os valores na fórmula 𝑃=𝑉⋅𝐼. Então, temos 7500W dividido por 220V, o que resulta em uma corrente de 34A.

Segundo Passo: Verificar a Bitola do Cabo

Consultando a tabela 36 da NBR 5410, verificamos qual a bitola do cabo que aguenta essa corrente. Essa tabela é para cabos isolados em PVC e vamos seguir a coluna do método de instalação B1, referente a cabos embutidos na alvenaria.

No método de instalação B1, com 2 condutores carregados (afinal, em 220V pode ser fase e fase ou fase e neutro), o cabo recomendado para suportar 34A é o cabo de 6mm², já que o cabo de 4mm² suporta 32A.

“Pronto, André, então está certo! Um cabo de 6mm² aguenta um chuveiro de 7500W.”

Não é bem assim!

Até agora, vimos apenas dois pontos que devemos considerar para a escolha correta do cabo: a corrente do circuito e o tipo de isolação do cabo. Porém, existem outros fatores importantes: a temperatura do ambiente e a quantidade de agrupamento de circuitos.

Temperatura do Ambiente

Um erro comum é achar que a temperatura ambiente é a temperatura da cidade onde a instalação será feita. Não é isso! A temperatura de referência de 30°C encontrada nas tabelas da norma refere-se à temperatura do ambiente onde a instalação está sendo feita, conforme o item 6.2.5.3.1 da NBR 5410.

O fator de correção de temperatura (FCT) é mais utilizado para indústrias e comércios, onde a temperatura costuma ser alta (como em padarias) ou baixa (como em frigoríficos). Para residências, este fator será unitário. No entanto, se precisar utilizar este fator, consulte a tabela 40 da NBR 5410. Lá estão os diversos valores a adotar quando a temperatura for diferente de 30°. Por exemplo, se o chuveiro for instalado em uma padaria a 40ºC, precisamos multiplicar a corrente que o cabo suporta pelo fator 0,87 para fazer essa correção. Ou seja, ele perde um pouco da sua capacidade de condução de corrente devido ao aumento da temperatura ambiente.

Fator de Agrupamento

Toda vez que tivermos mais de um circuito em um eletroduto, devemos aplicar o fator de agrupamento (FCA).

“Hoje em dia, a gente coloca o circuito do chuveiro sozinho em um eletroduto exclusivo, direto do QDC para o chuveiro!”

Hoje sim, mas antigamente não era assim. Muitas instalações antigas têm vários cabos espremidos dentro dos dutos, o que gera prejuízos.

Vamos imaginar agora que, do QDC, saem junto com o circuito do chuveiro outros dois circuitos no mesmo duto:

Consultando a tabela 42 da norma, nosso método de instalação é em conduto fechado (B1) e temos três circuitos agrupados. Utilizaremos o fator de agrupamento no valor de 0,7.

Voltando aos Cálculos

Para saber a corrente de projeto corrigida, utilizamos a fórmula: Ic = Ip/(FCTxFCA)

Corrente corrigida = corrente de projeto dividido pelo fator de correção de temperatura vezes o fator de correção de agrupamento sendo assim: 34 / (1×0,7) 34/(0,7) Ic= 49A

Portanto, a corrente corrigida é 49A, o que indica que um cabo de 6mm² pode não ser adequado se não forem considerados todos os fatores de correção mencionados. É fundamental considerar a temperatura ambiente e o agrupamento de circuitos para garantir a segurança e eficiência da instalação elétrica.

 

Conheça nosso Curso de Eletricista Profissional

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *