Por que NÃO POSSO usar CABO COMUM para ENERGIA SOLAR? 🤔

Por que NÃO POSSO usar CABO COMUM para ENERGIA SOLAR? 🤔

👉 LINK MEGA ELETRIZANTE: https://www.cursodeeletricista.net/mega-eletrizante02

⚡️ AULA GRATUITA: Como Fazer Uma Instalação Elétrica Completa do Zero, Com Facilidade, Mesmo que Você Não Seja Um Eletricista Profissional:
https://eletr.co/aula?utm_content=yt1-vd1051 />——

📣 COMUNIDADE FAAALA ENGEHALL 📣
Junte-se à nossa comunidade no WhatsApp para receber dicas e novidades valiosas na área elétrica, informações importantes e muito mais. 😉
👉
https://eletr.co/fala-eng?utm_content= />——

Gostou desse vídeo? 😍
✔️ Deixe seu comentário e compartilhe com os amigos
✔️ Siga nossas redes ➽
https://eletr.co/links
– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

Por que NÃO POSSO usar CABO COMUM para ENERGIA SOLAR?

Em sistemas fotovoltaicos temos a energia tanto em corrente alternada, que é a parte de conexão e alimentação da concessionária, quanto também em corrente contínua, que é na geração de energia dos módulos até chegar no inversor.
Então quem faz o trabalho de conversão de contínua para alternada e vice-versa é o inversor solar.

De acordo com a NBR 16690, que é a norma que trata sobre os requisitos de projeto das instalações elétricas de arranjos fotovoltaicos, em seu item 6.2.3 ela cita a NBR 16612, que trata sobre os requisitos mínimos para a aceitação dos cabos para uso em corrente contínua em instalações de energia fotovoltaica.

E quando falamos em CC em sistemas fotovoltaicos, estamos falando dos cabos instalados entre a placa solar e os terminais da string box. Ou seja, os cabos do lado CC.

“E porque estes cabos precisam ser diferentes André? Ele é melhor do que os cabos que usamos em casa?” Não, meu querido, é que eles possuem aplicações diferentes, logo precisamos utilizar produtos diferentes.

Se pegarmos um cabo usado para sistemas fotovoltaicos e colocarmos ao lado de um cabo com isolação HEPR, eles vão parecer idênticos. Mas as semelhanças ficam apenas nas aparências.
Os cabos fotovoltaicos são produzidos para trabalhar em regime permanente com uma temperatura de 90°C. Mas ele pode trabalhar por um período máximo de 20.000h, que dá um pouco mais de 2 anos, com uma temperatura máxima de operação de 120°C.

Uma outra diferença entre os cabos com isolação HEPR e os cabos fotovoltaicos é com relação ao tipo de condutor.
Enquanto o encordoamento de um cabo HEPR é apenas em cobre e com têmpera mole, o encordoamento de um cabo fotovoltaico é em cobre eletrolítico estanhado, também têmpera mole. A razão do cabo fotovoltaico possuir cobre estanhado eletroliticamente em sua composição é para impedir sua oxidação, principalmente em regiões litorâneas.

A isolação do cabo fotovoltaico também precisa ser diferenciada, já que ele fica, na maioria dos casos, exposto. Sendo assim, a isolação deve ser constituída por uma ou mais camadas de composto não-halogenado termofixo.
Cabo não-halogenado é aquele cabo livre de halogênio em sua fabricação. Com isso, emitem baixa quantidade de fumaça, não emitem gases tóxicos e corrosivos durante a queima.

Além da isolação diferenciada, ele precisa também de uma cobertura diferenciada. Como eu disse, os cabos fotovoltaicos geralmente são instalados ao tempo. Assim a cobertura precisa ser resistente aos raios UV. Além disso, esta cobertura também deve ser não halogenada e ser nas cores preta, vermelha ou verde.

Um outro detalhe importante é que estes cabos precisam conter o nome do fabricante, sua seção nominal expressa em milímetros quadrados (mm2), inscrição: “USO EM SISTEMA FOTOVOLTAICO”; e o número da norma NBR 16612. Sendo assim, se o cabo possuir a marcação NBR 7286 não podem ser usados.

E pensando em melhorar as instalações fotovoltaicas que a nossa parceira Megatron está lançando o seu Cabo Fotovoltaico. Os cabos fotovoltaicos da Megatron atendem a todos os requisitos da NBR 16612 e chegam com preço competitivo ao mercado. Além disso, você tem à disposição cabos que vão desde 1,5mm² até 300mm².