COBRAR ou NÃO pela VISITA TÉCNICA?

Cobrar ou não por uma visita técnica na casa de um cliente? 

Esta é sem dúvida a pergunta que a maioria dos profissionais autônomos fazem!

Sendo assim, no texto de hoje, eu vou trazer para você 05 situações nas quais você pode cobrar (OU NÃO) por uma visita técnica. E isso baseado na legislação brasileira!

Além disso, ainda vou comentar sobre uma ferramenta digital que virou febre entre os eletricistas autônomos. Pois ela é capaz de reduzir uma parte do nosso trabalho diário em até 90% do tempo.

Inclusive, para você não apenas fazer um bom orçamento, mas entregar um excelente serviço, um que o seu seu cliente irá ter prazer em divulgar, eu te convido a fazer parte do nosso grupo de elite! CLIQUE AQUI e venha ser o NOVO ELETRICISTA, o profissional do presente e do futuro que não perde espaço para o Zé Faísca! Seja um profissional 100% capacitado e que não fica inseguro na hora de pôr a mão na massa. Eu conto com você!

Eu POSSO COBRAR pela VISITA TÉCNICA?

Fala, meus queridos!!!

Tá aí um velho dilema: cobrar ou não por uma visita técnica?

Mas, antes de mais nada…

O que realmente caracteriza uma visita técnica?

A visita técnica é aquele momento em que você irá avaliar e definir o que precisará ser feito para poder elaborar o orçamento de seu cliente. O simples fato de você ser chamado para ir a um local prestar um atendimento profissional caracteriza uma visita técnica, seja para orçamento ou até mesmo para reparo.

Alguns profissionais autônomos preferem não cobrar pela visita técnica, pois acreditam que o orçamento é um direito do consumidor e não deve ser cobrado. Porém, existem situações em que a visita técnica pode ser mais complexa, sendo necessário mais de uma ida no local, demandando mais tempo e em alguns casos até mais visitas.

E é neste momento que alguns profissionais preferem e, principalmente, precisam cobrar pela visita técnica!

Só uma observação:

  • Não estou aqui para dizer se é certo ou não cobrar pela visita técnica, não é o intuito deste texto. O meu objetivo a partir de agora é apenas apresentar para vocês argumentos técnicos, jurídicos e, também, algumas boas práticas de mercado, combinado? 

Sendo assim, vamos ver o que cita o Código de Defesa do Consumidor (CDC)

O Art. 39 do CDC cita que:

  • “É vedado ao fornecedor de produtos ou serviços, dentre outras práticas abusivas”, como por exemplo em seu inciso VI – “executar serviços sem a prévia elaboração de orçamento e autorização expressa do consumidor, ressalvadas as decorrentes de práticas anteriores entre as partes”.

E, complementando este inciso, tem o Art. 40 do mesmo CDC que cita que:

  • “O fornecedor de serviço será obrigado a entregar ao consumidor orçamento prévio discriminando o valor da mão-de-obra, dos materiais e equipamentos a serem empregados, as condições de pagamento, bem como as datas de início e término dos serviços”.

Bom, então sabemos que é obrigatório fornecer orçamento a nosso cliente. Porém nada foi dito sobre a cobrança, mas…

De acordo com o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), existem 2 casos em que a cobrança de um valor é admitida, aí começam as situações deste texto…

05 Casos em que podemos COBRAR ou NÃO pela VISITA TÉCNICA

SITUAÇÃO Nº01 

A PRIMEIRA SITUAÇÃO é quando há necessidade de deslocamento do fornecedor ou do produto a ser consertado. Nesse caso, desde que você informe com antecedência ao cliente que será cobrado uma taxa de deslocamento e ele aceita, aí sim você pode cobrar! 

Se você não informar que existe esse custo, você não pode cobrar essa visita técnica. 

Dentro disso, na maioria das vezes, eu gosto de usar o bom senso. Se for uma visita para orçamento e ela estiver no meu trajeto, ou próximo talvez, não vejo a necessidade de cobrar pelo deslocamento. Informo ao cliente que não terá custos!

Agora, se for um reparo no qual eu vou resolver, aí logicamente eu dou o orçamento na hora e já executo o serviço. Só que a cobrança é pelo serviço e não pela visita técnica.

SITUAÇÃO Nº02

A SEGUNDA SITUAÇÃO é quando o equipamento do cliente precisa ser desmontado para avaliar e depois ser remontado. E muitas vezes é necessário levá-lo para reparo. 

Pensa só: Você foi chamado para fazer um orçamento para trocar o DR de uma residência. Se o DR está atuando, pode ser por 2 motivos. Ou o DR está estragado, o que é bem raro de acontecer, ou a instalação está com uma fuga de corrente

Só que para descobrir onde é a fuga, quem é eletricista sabe, você terá que desmontar vários pontos em busca dela! 

SITUAÇÃO Nº03

Agora imaginem uma TERCEIRA SITUAÇÃO:

O cliente te chama para trocar a resistência do chuveiro da casa dele. Chegando lá, você percebe que o problema não é na resistência. Muitas vezes, o caso é substituir o chuveiro inteiro!

Mas se não for o caso e o problema for na rede mesmo, para encontrar o defeito vai demandar (ou não) um tempo de análise.

Neste caso, cabe a você informar (ou não) ao seu cliente se haverá outro tipo de cobrança, além daquela combinada entre vocês.

Lógico, sempre mantendo a transparência! Explicando, sem entrar tanto em detalhes técnicos, o que está acontecendo e como você vai resolver.

SITUAÇÃO Nº04

Uma QUARTA SITUAÇÃO muito comum em nosso dia a dia é quando o cliente pede a você ir na casa dele verificar um problema e o que poderia estar ocasionando aquele problema.

Você vai, dedica seu tempo e conhecimento e fornece o orçamento para resolver aquele problema. E muitas vezes, caso você tenha feito uma lista de materiais, o cliente simplesmente pega todas estas informações que você passou a ele, junto com a sua lista e acaba passando para o pica fio que cobrou bem mais barato pra resolver.

Quem dedicou tempo e conhecimento para descobrir o problema foi você! Só que ficou “chupando dedo” nessa história…

Nesse caso, você não pode fazer nada contra o cliente! Você apenas forneceu um orçamento, ele não tem a obrigação de fechar contigo.

Mas a minha recomendação é nunca passar lista de material antes de fechar com o cliente ou receber a ordem de serviço.

Recomendo também não detalhar tecnicamente o serviço prestado, mas sim escrever o que será feito e qual o prazo isso irá levar. Dessa forma você economiza tempo e evita frustrações.

Inclusive, aguenta firme que vou falar ainda como você pode se resguardar caso seu cliente feche um serviço contigo e depois volte atrás através da ordem de serviço e recibo, isso é bacana de saber…. 

SITUAÇÃO Nº05

E uma QUINTA e última SITUAÇÃO é quando o seu cliente te pede um orçamento para a fazer (ou refazer) toda a instalação da elétrica da casa dele.

Nesse caso, você precisa ir, pelo menos, uma vez fazer todo levantamento técnico da obra, e praticamente será necessário fazer, ao menos, um croqui elétrico, caso a obra não tenha projeto, para conseguir fazer o orçamento.

Neste tipo de situação, novamente você pode informar ao cliente com antecedência a taxa da visita técnica. Afinal, como já falei, o Código de Defesa do Consumidor (CDC) não proíbe a cobrança, desde que o seu cliente seja informado desta cobrança no ato da marcação da visita.

Afinal, como disse um velho sábio: “o combinado não sai caro”.

Recomendações de um PROFISSIONAL

Agora vou dar duas recomendações pessoais minhas depois de testar várias formas de cobrança na área elétrica durante meus 15 anos de experiência. 

Eu não tenho costume de cobrar taxa de visita ou deslocamento para nossos atendimentos. Apenas em casos extremos que o cliente precisa resolver com urgência algum problema e isso afeta diretamente a nossa agenda de trabalho.

Na maioria dos casos, os orçamentos que aparecem sempre caem próximo as nossas rotas da semana, e é possível sair mais cedo de uma obra e passar lá pra avaliar

Em casos de obras inteiras, que é o que a gente mais pega hoje, aí eu não cobro pra fazer orçamento mesmo. Justamente porque o valor total de um serviço compensa todo custo de tempo e deslocamento gasto nos outros orçamentos dados.

Mas novamente, pessoal, não tem certo ou errado, você pode cobrar ou não, a escolha é sua…. 

Como fechamos uma média de 7 a cada 10 orçamentos que passamos:

Isso só é possível por causa da agilidade que o aplicativo Meu Ajudante nos dá. E aí que vale a pena conhecer as funcionalidades do nosso App, olha só: 

  • Com ele você consegue calcular todo seu custo operacional;
  • Consegue estimar uma média de tempo gasto para executar determinados tipos de serviço e com isso você estará atendendo ao Art.40 do Código de Defesa do Consumidor, uma vez que ele discrimina o valor da mão-de-obra dos materiais e equipamentos a serem empregados, as condições de pagamento e prazo de validade do orçamento;
  • Além da facilidade de entregar ao seu cliente um orçamento já com sua assinatura e logomarca da sua empresa.

Tudo isso na palma da sua mão!

O App também conta com a agenda inteligente, que ao passo que você cadastra um orçamento e informa o status dele. O app te lembra no dia e na hora certa através de notificações que você precisa entrar em contato com o seu cliente para cobrar um retorno sobre sua proposta e isso automaticamente demonstra interesse da sua parte em fechar com ele

Além disso, na hora que o cliente fechar e pagar a entrada, por exemplo, você já consegue gerar um recibo que serve como comprovante de ordem de serviço, trazendo mais transparência e credibilidade pro seu negócio.

Como ter o MEU AJUDANTE

Agora vem a notícia boa: quem clicar no link “Quero baixar o – App Meu Ajudante” que está logo abaixo, poderá fazer o download gratuito e testar o aplicativo durante 30 dias sem custo algum.

Você gostando da solução e querendo continuar usando, aí a gente combina posteriormente, ok?! Importante dizer que até o momento o app funciona em dispositivos Android e IOS. Então não tem desculpa para não testar o app. 

Link: Quero baixar o App – https://engehall.com.br/app1301

E ai, meu querido, conseguimos trazer um pouco de luz sobre este assunto? 

Aproveita e compartilha também a nossa página e o nosso App, claro, com seus amigos autônomos e nos grupos de zap e Facebook, nos ajude a divulgar essa ferramenta bacana que criamos pra ajudar a desembolar os orçamentos…. 

E se você quer se tornar o NOVO ELETRICISTA e bombar de serviços, não deixe de de entrar no nosso grupo de elite ELETRICISTA PROFISSIONAL, um treinamento que vai deixar você apto para instalações elétricas sem que você “trema nas bases”! CLIQUE AQUI e se junte ao grupo de elite dos eletricistas!

Grande abraço, meu querido, e até o próximo texto aqui da Engehall!

Tchau e obrigado!

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin

Posts Relacionados:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.