O que é direção defensiva? Guia completo para evitar acidentes no trânsito

Você sabe o que é direção defensiva? O Brasil é o quarto país com mais mortes por acidentes no mundo, de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde). Só no primeiro semestre de 2020, o trânsito matou mais que os crimes violentos em seis estados. 

A gente sabe que acidentes são fatalidades. Mas 64 % dos acidentes acontecem por falha do condutor. Tenho certeza que você sai de casa, entra no carro, e espera voltar pra casa vivo e saudável. 

Mas como você pode garantir isso? Nesse artigo você vai conhecer o que é direção defensiva e como ela é importante para diminuir os acidentes no trânsito.

O que é direção defensiva?

Segundo o Manual do Detran, direção defensiva é um modo de conduzir o veículo que evita acidentes, mesmo com ações incorretas dos outros, ou condições adversas do percurso. No país que ocupa a quarta posição no ranking mundial de acidentes, saber o que é direção defensiva é essencial se você quer preservar a sua vida. 

A direção defensiva é uma forma de dirigir que te permite identificar antecipadamente as situações de perigo. Dessa forma, você pode prever as consequências e estar preparado para tomar as decisões que vão garantir maior segurança para você e para quem te acompanha. 

Tipos de direção defensiva: Qual a diferença entre direção defensiva e direção corretiva?

Existem dois tipos de direção defensiva: a direção preventiva e a direção corretiva. 

Na direção preventiva o condutor antecipa os riscos. Ele dirige avaliando todas as condições: físicas, mentais, climáticas, além de observar sempre a via em que está trafegando. 

Já a direção corretiva é necessária quando o condutor precisa agir com rapidez ao ser surpreendido por alguma situação não prevista por ele. O condutor precisa estar preparado para corrigir e reparar situações de perigo para proteger as vidas em risco. 

Alguns exemplos de medidas corretivas são:

  • Sinalizar o local 
  • Auxiliar as vítimas
  • Contatar autoridades e serviços de assistência médica

A direção agressiva é o contrário da direção defensiva. Nela o motorista coloca em risco a sua vida, e a vida de outros, quando têm alguns comportamentos como: dirigir com sono, exceder a velocidade prescrita, usar remédios ou substâncias estimulantes, usar o celular, fazer ultrapassagens arriscadas, entre outros. 

Infelizmente, são condutas comuns no trânsito. Mas são elas que colocam o motorista em situações perigosas. Além disso, 3 tipos de atenção na direção agressiva precisam ser corrigidas:

Atenção fixa: o motorista dirige olhando apenas para um ponto fixo

Atenção dispersiva: o motorista não se concentra na condução

Atenção difusa: o motorista se distrai com paisagens ou atividades que não são da direção. 

Quais são os cinco elementos da direção defensiva? 

Existem cinco elementos básicos na direção defensiva: conhecimento, atenção, previsão, habilidade e decisão.

Conhecimento 

Existe um conhecimento necessário para que o condutor adote uma direção defensiva. Além da legislação de trânsito, que deve ser o maior aliado do motorista, o condutor deve conhecer o veículo que ele usa. 

Ele precisa conhecer as ferramentas e os equipamentos que o veículo dispõe para manter a segurança. É importante que o condutor também conheça as vias que trafegam e as condições adversas que ele pode encontrar durante o trajeto, como por exemplo, chuvas fortes, neblina e baixa luminosidade.  

Atenção 

Com o tempo, a direção se torna uma prática automática. Mas uma direção defensiva depende muito da atenção do motorista. Ele precisa estar focado e consciente de tudo o que faz. Dessa forma, ele pode agir com precisão e agilidade quando for surpreendido por algum imprevisto. 

A atenção difusa é a postura mais adequada enquanto se dirige. Nela você precisa estar atento a tudo o que acontece à sua volta, evitando que seja pego de surpresa. Fique atento aos retrovisores, à pista e aos outros veículos próximos. Tudo o que prejudica a sua atenção deve ser evitado!

Habilidade 

A habilidade necessária para a direção defensiva é adquirida com tempo, prática e perícia. O condutor precisa aprender o modo correto de manusear o veículo, e adquirir domínio nas manobras que faz com ele. 

É a prática que leva a perfeição. Um condutor hábil é aquele capaz de manusear os controles do seu veículo com perícia e domínio. Isso só é possível com muita prática, aliada ao conhecimento e a atenção. 

Previsão 

Prever todos os perigos do trânsito é impossível. Mas o condutor precisa se preparar para algumas eventualidades que são comuns no dia-a-dia. Furar o pneu, encontrar um buraco ou um pedestre atravessando no lugar inadequado são bons exemplos disso. 

Segundo o Manual de Direção Defensiva do Detran, a direção defensiva “exige tanto a previsão mediata com imediata, sendo que algumas inclusive, fazem parte das leis de trânsito (cuidados com o veículo, equipamentos obrigatórios) “

Dessa forma, fazer revisão do veículo periodicamente, verificar os equipamentos de segurança obrigatórios, são previsões imediatas, ou seja, podem ser feitas com antecedência e planejamento. 

Já um pedestre que de repente atravessa de forma inadequada na frente do seu veículo, é uma previsão imediata, que precisa ser resolvida naquele momento. Aqui, os elementos do conhecimento, habilidade e atenção devem entrar em ação para, em conjunto, preverem a melhor decisão. 

Decisão 

A direção defensiva depende de decisões assertivas. Mas uma decisão assertiva acontece a partir do conhecimento que o condutor tem das alternativas que se apresentam para ele ali e das possibilidades do veículo. Da mesma forma, ele precisa conhecer as leis que regem o trânsito, o tempo e o espaço que ele tem para tomar uma atitude segura. 

Como se comportar no trânsito? 

Os tipos de colisão que podem acontecer no trânsito são variados. Mas existe um fator mais comum nos acidentes: não conseguir desviar ou parar a tempo o veículo para evitar a colisão. 

Mas, como parar o carro?

Existem quatro tipos de distâncias necessárias para uma condução defensiva:

  1. Distância de seguimento: é a distância que você deve manter entre seu veículo e o que segue à frente. Ela deve ser suficiente para você conseguir parar sem colidir com a traseira do carro à frente, mesmo em uma emergência. 

O ideal é manter uma distância próxima a dois segundos em relação ao carro da frente. 

  1. Distância de reação: é a distância da reação que você tem no momento que vê uma situação de perigo. Ela é medida no momento em que você vê o perigo, até o momento que pisa no freio. É o tempo de você tirar o pé do acelerador até colocar no freio. 
  1. Distância de parada: é a distância entre o momento que você vê o perigo e para totalmente o veículo, ficando em uma distância segura do veículo a frente, ou pedestre. 

Existem alguns fatores que determinam a distância segura que você precisa tomar diante de outros veículos. As condições climáticas (sol ou chuva), a velocidade, as condições da via, do carro, e sua habilidade de reagir rapidamente, influenciam na distância necessária que você precisa tomar. 

4 dicas para uma direção defensiva 

Primeiro: Invista em treinamentos 

Você já sabe que o conhecimento é um elemento fundamental na direção defensiva. Hoje você pode contar com empresas especializadas em treinamentos de segurança e direção defensiva. 

Além de manter o hábito constante de buscar atualizações a respeito das normas de trânsito, os códigos de conduta e os desafios do tráfego, é importante procurar um treinamento com profissionais capacitados tecnicamente. 

Segundo: Avalia sua condição física e mental 

Já vimos que uma boa porcentagem dos acidentes de trânsito acontece por falhas humanas. Conduzir um veículo exige total concentração do motorista, e isso envolve todas as suas disposições mentais, físicas e psicológicas. 

Se você vai dirigir, avalie suas condições físicas e emocionais: está abalado emocionalmente? Estressado? Sonolento? Isso com certeza irá influenciar na sua atenção no trânsito. 

Terceiro: Use os itens de segurança do veículo

Os equipamentos de proteção foram planejados para minimizar as consequências de acidentes. A gente não sai de casa esperando por um acidente, mas o velho ditado está certo: “É melhor prevenir do que remediar”. Use o cinto de segurança em qualquer situação! 

Além disso, faça revisões periódicas para garantir que eles estejam em boas condições de uso. 

Quarto: Respeite as condições da via 

É obrigatório obedecer aos limites de velocidade em qualquer via que você trafegue. O excesso de velocidade enfraquece sua capacidade de previsão e agilidade de responder imprevistos. Além disso, você pode facilmente perder o controle do carro. 

Fique atento à sinalização das vias, assim como as condições dela, o clima, os obstáculos e o tráfego.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin

Posts Relacionados:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.