LUBRIFICANTES para PASSAR CABOS não indicados

Hoje eu quero mostrar para você os 05 Tipos de LUBRIFICANTES para PASSAR CABOS que a ENGEHALL NÃO USA e não indica.

Bom, na verdade são “LUBRIFICANTES” com muitas aspas…

Se você nunca sofreu na hora de passar cabos dentro de uma tubulação longa ou apertada naquela reforma mal planejada, meu querido, desculpe mas você tem que comer muito feijão ainda pra conseguir chegar a um certo nível de experiência profissional.

É nesta hora que precisamos “lubrificar” os cabos para facilitar o serviço sem danificar sua isolação. A gente usa um lubrificante específico para isso, mas o que eu vejo na prática não é bem assim…. 

Tanto que recebi esses dias a pergunta do aluno Leandro Gomes, do nosso curso de eletricista profissional:

  • “Fui fazer um serviço e tive bastante dificuldade na hora de passar os cabos. Só consegui passar os cabos depois de passar graxa neles. Fiquei na dúvida, isso é permitido?”

Enfim, pra responder a dúvida do Leandro e provavelmente a sua também, resolvemos fazer um TOP FIVE, mostrando cinco tipos de lubrificantes que a Engehall não usa mais nas suas obras.

E falo que não usa mais porque confesso que já usei sim em outras ocasiões e como todos os mortais, “ isso eu não nasci sabendo”.

lubrificantes para passar cabos

NBR 5410 e os LUBRIFICANTES para PASSAR CABOS

Primeiro, vamos ver o que fala a NBR 5410, principal norma das instalações elétricas de baixa tensão no Brasil.

No item 6.2.11.1.18 cita que “Para facilitar a enfiação dos condutores, podem ser utilizados:

  1. a) guias de puxamento; e/ou
  2. b) talco, parafina ou outros lubrificantes que não prejudiquem a isolação dos condutores.

Quando ela fala não prejudiquem a isolação dos cabos, de cara a gente já pensa em todos os lubrificantes NÃO DERIVADOS DO PETRÓLEO, pois eles podem causar um ressecamento precoce do material isolante diminuindo a vida útil do cabo.

  • Ah, André, o talco e a parafina, então, são permitidos pela norma, posso usar, então?

Claro que pode, porém eu testei o talco e daqui a pouco compartilho com vocês a minha experiência.

Mas antes, que tal você dar uma chance para a sua evolução profissional e se tornar o NOVO ELETRICISTA! Um profissional que não perde serviço para o Zé Faísca e não congela na frente do cliente, ou do empregador. Seja um profissional confiante e atualizado com o treinamento da Engehall! CLIQUE AQUI e garanta já esse novo passo na sua vida.

O que NÃO RECOMENDAMOS para LUBRIFICAR:

TOP5 – GRAXAS AUTOMOTIVAS

Turma, a grande maioria das graxas automotivas, se não me engano quase todas, são derivadas do petróleo. Então, conforme nossa explicação, não recomendo usá-las para passar cabos. Graxa eu juro que nunca usei, e, na verdade, imagino que seja uma ideia de girico, afinal deve fazer uma lambança, né!

TOP4 – LUBRIFICANTES SPRAY “DESENGRIPANTE”

Lubrificantes do tipo spray, até onde sei, não é corrosivo, tanto que usamos para lubrificar partes metálicas de equipamentos, e resolve muito bem. Porém, na prática, não rende, e isso eu já testei.

Quando a gente aplica o spray sobre os condutores, acabamos perdendo muito produto. Talvez você pensa em jogar dentro da tubulação, mas aí só vai lubrificar a entrada do duto, lá na frente vai ficar ruim de passar.

Então, esse eu posso dizer: Já testei na obra, mas não achei uma boa solução!

Inclusive, você também pode opinar enviando uma mensagem para a gente sobre quais produtos você usa atualmente.

Não é porque a gente não recomenda que vai virar lei! Compartilhar experiências profissionais é o que importa pra gente.

Vamos para o TOP 3 de lubrificantes para passar cabos infames.

TOP3 –  ÓLEO DE SOJA PARA COZINHA

Oléo de soja não é derivado do petróleo, obviamente. O próprio nome já diz, é derivado da soja. Então, esse aí não prejudicaria os cabos, é um produto natural.

Em partes… concordo! Mas minha experiência usando óleo de soja não foi das melhores. Foi na reforma elétrica do apartamento do meu pai, em Caratinga, há uns anos atrás. 

Estava eu e meu pai puxando o ramal de alimentação do terceiro andar com 4 cabos 16mm, duas fases, neutro e terra, e a prumada do prédio era duto de 1 polegada.

Estava bem apertado. Era uma reforma, a gente não ia quebrar a parede pra trocar o tubo, “vai na raça mesmo”.

Fazer o que, não é?!

Como eu não tinha ideia do que usar e não conhecia lubrificante especifico, era novo na área, resolvi usar o óleo de cozinha.

Cara que burrada!

A gente sujou a mão toda, sujou parte da parede e foi um saco tirar o óleo da mão. Tirando a parte que minha mãe pirou com a sujeira!

  • “Mãe, se a senhora está lendo este texto, saiba que foi por uma boa causa! Olha onde eu estou hoje… Errando é que se aprende!” 

Enfim, óleo de soja eu não uso pra passar cabos mesmo, mas quer uma dica top com oléo de cozinha? Serve para tirar tinta oléo da mão, ao invés de usar tinner ou aguarras, que arde pra cacete. Use óleo de soja, remove com facilidade.

A gente viu a dica na internet, testamos outro dia lá na roça e funciona mesmo! Mas vamos para o TOP2, então. 

No TOP 2 está a famosa VASELINA

Até pouco tempo atrás, nós usávamos somente a vaselina. Só que a vaselina neutra é derivada de óleos minerais.

Eu sempre comprei desse tipo de vaselina nas farmácias, pois ela é apropriada para tratamentos de pele, evita questão de ressecamento e tal. Só que acaba que ela também deixa a mão da gente bastante lambrecada.

Isso me incomodava um pouco, mesmo usando luva. Toda vez que acabava a obra, ou tinha que lavar a luva pra tirar a vaselina, ou tinha que ter uma luva só pra puxar cabo. Depois descobri um lubrificante melhor, e paramos de usar vaselina.

Em algumas aulas do curso de eletricista profissional da Engehall, eu recomendo o uso de vaselina neutra, mas também falo do lubricante para passar cabos a base de água que usamos atualmente. Se você tem interesse em saber mais informações desse curso, vir fazer parte da nossa turma VIP de alunos e se tornar um eletricista profissional certificado pela Engehall, basta CLICAR AQUI.

Vamos pro TOP1.

Para nosso TOP 1 de lubrificantes para passar cabos não poderia faltar o DETERGENTE

Esse eu acho que todo mundo aqui já usou!

Eu perdi as contas de quantas vezes o recurso técnico no local foi usar detergente…

É meio que intuitivo:

  • “Você tá lá na dificuldade aí olha pro detergente, ele te olha de volta e pronto, amor a primeira vista!”

Pessoal o detergente não é uma boa opção, pois é composto por sais de ácidos sulfônicos, e a gente sabe que ácido em geral pode ser corrosivo, principalmente aos contatos elétricos.

Dessa forma, usar detergente pode causar até mal contato em partes da instalação com o passar do tempo.

Confesso que já usei algumas vezes, e depois de estudar um pouco mais sobre isso aboli esse produto das nossas instalações.

BÔNUS

E quanto aos lubrificantes para passar cabos em pó, talco e grafite por exemplo. Nunca usei, mas sei que muita gente usa talco, e recomenda. O grafite é um material que pode ser condutor de energia, então esse não recomendo que seja usado não!

Atualmente, usamos esse produto aqui que é um lubrificante especial para passagem de cabos:

Ele é feito a base d’água, e a gente encontra nas melhores lojas de elétrica.

Se você entrar numa loja e ver ele e conector Wago lá, pode saber que a loja é das boas!

O custo dele pra mim é relativo aos benefícios, afinal ele seca rapidamente da mão após o uso. Ele tipo evapora ao ser esfregado e deixa a mão limpa. Toda a nossa equipe de obra aprovou o uso e a gente só usa desse atualmente.

DIMENSIONAMENTO X LUBRIFICANTES

Aposto que  está passando aí agora na sua cabeça a seguinte pergunta:

  • “André, quando a tubulação é dimensionada corretamente não é preciso nem usar lubrificantes, o certo é dimensionar direito.”

Cara, em partes concordo!

Se é uma instalação do zero, ou até mesmo uma reforma mais pesada, sim, passe novos dutos, faça o dimensionamento correto, e seja feliz!

Agora, se é uma reforma, não é possível quebrar a parede, rebaixar o teto, e você sabe que não vai conseguir respeitar a taxa de ocupação. Porém dá pra passar os cabos e resolver o problema do cliente.

Vamos deixar de mimimi e vamos resolver o problema dele?

Não estou aqui incentivando gambiarra não, pessoal. eu estou aqui trazendo a realidade do eletricista no dia a dia da obra cara, respeito sim a norma em tudo que está dentro do meu conhecimento e principalmente dentro do meu alcance.

Resumo, “Use seu conhecimento para resolver os problemas das pessoas, não para levar mais problemas a elas!”

Quero agradecer ao aluno Leandro Gomes, do curso de eletricista profissional da Engehall, que fez a pergunta e a partir daí nasceu o assunto de hoje. Obrigado por ser nosso aluno e obrigado pela sugestão, meu querido!

Grande abraço, meu querido e até o próximo texto.

Tchau e obrigado!

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin

Posts Relacionados:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.