Polêmica: Você reduz BITOLA de CABO?

bitola

Posso DIMINUIR a BITOLA do CABO na caixa de PASSAGEM? 

Qual a sua opinião?

Pode ou não pode?

Fala, meu querido!!! Tudo massa?

Seja muito bem-vindo a mais um texto aqui do nosso blog Engehall!

Hoje resolvemos trazer outro assunto bastante polêmico entre os eletricistas.

“Polêmica de novo André?

Sim, meu querido, boas polêmicas geram debates públicos de qualidade.

E tenham certeza: sempre estamos aqui para debatermos com qualidade e respeito…..

E falando em qualidade, você já conhece o treinamento ELETRICISTA PROFISSIONAL?

Meu querido, esse treinamento está formando a verdadeira ELITE dos profissionais da eletricidade! E você pode fazer parte dessa COMUNIDADE INCRÍVEL!

👉 CLIQUE NESTE LINK para conhecer todas as vantagens do treinamento ELETRICISTA PROFISSIONAL 👈

bitola

Enfim, posso diminuir a bitola do cabo dentro de uma caixa de passagem?

Meu querido, a ideia deste conteúdo veio de um inscrito do nosso canal no YouTube, o Geovane Mota.

Ele nos perguntou o seguinte:

  • “André, por que você não faz um vídeo sobre se pode ou não diminuir a bitola de um cabo dentro de uma caixa de passagem? Já vi muitas pessoas tendo essa dúvida, pois viram nessa forma uma maneira de diminuir o custo da obra…”

Bom, para respondermos esta questão, primeiro vamos consultar as normas e ver o que elas citam sobre isso.

Primeiro consultamos a norma que trata sobre a emenda para cabos de potência isolados para tensões até 750 V, a NBR 9513, de 2010.

O item 3.3 desta norma cita que:

  • “Emenda de derivação é a emenda através da qual, de um cabo principal, é derivado um outro. Geralmente de seção de condutor menor ou igual a do cabo principal”.

“Opa, opa… para tudo, parece que o jogo virou, bebê! Para a nossa surpresa, quer dizer que eu posso, sim, emendar cabos de bitolas diferentes. Pois a norma permite”.

“Calma calma! Não priemos cânico!”

Vamos continuar nossa leitura, porque existem mais 4 pontos nesta norma que devemos observar.

As emendas devem suportar as mesmas condições em sobretensão, sobrecarga, temperatura e curto circuito especificadas para atender ao cabo de onde será feira a derivação. Como podemos ler nos itens 4.41, 4.5, 4.6 e 4.7 da norma.

Bom, agora o jogo meio que volta ao normal!

Porque: se a emenda deve suportar a mesma característica quando tiver uma sobrecarga, os cabos não podem ser de bitolas diferentes.

Você concorda? ….. Ainda não?

Vamos ver então o que a NBR5410 tem a dizer sobre bitola diferente? 

O item 6.2.8.1 cita que:

“As conexões de condutores entre si… devem garantir continuidade elétrica durável, adequada suportabilidade e proteção mecânica.”

já no item 6.2.8.2 é cita que devem ser levados alguns fatores, entre eles está a seção dos condutores.  

Tá, até aí está condizente. Mas vamos aprofundar mais um pouco…. 

Conforme a tabela 36 da NBR 5410, usando como exemplo o método de referência B1 que é o mais usado, e considerando 2 condutores carregados, um cabo de 4,0mm2 suporta uma corrente de 32A.

Já um cabo de 2,5mm2 que está a uma seção nominal inferior ao 4, suporta uma corrente de 24A nas mesmas condições que falei antes.

Pronto, alimentados da teoria, vamos pensar agora de uma forma mais prática:

Se a proteção foi pensada para proteger o cabo de 4,0mm², provavelmente foi colocado um disjuntor de 25A.

Agora se este circuito estiver trabalhando em plena carga, como uma cozinha de um restaurante, por exemplo, caso tenha emendado um cabo de 2,5mm² neste circuito, o mesmo estará trabalhando acima da sua capacidade de condução de corrente

Na prática, o cabo vai trabalhar mais quente.

Logicamente vai diminuir sua vida útil e podendo até mesmo depois de um tempo ter sua capa de proteção enfraquecida!

Só que o que acontece com o disjuntor de 25A lá no QDC?

Nada!

O disjuntor vai tá lá quietinho. Afinal, ele não foi dimensionado para proteger o cabo de 2,5mm². Mas sim um de 4,0mm² em caso de uma sobrecarga.

Ok, ok, tá tudo muito embasado, mas ainda ficou a dúvida:

A norma permite ou não emendar cabos de bitola diferente?

Não há nenhuma proibição clara quanto a isso. Porém fica subentendido pelos trechos que destacamos que também não é recomendado.

Só que se mesmo assim você desejar fazer este tipo de emenda, talvez você queira emendar um cabo mais grosso em um mais fino, utilize um disjuntor para fazer a proteção do cabo de menor seção. Dessa maneira você garante que a instalação estará protegida.

Só que… como boa prática, nós da Engehall não recomendamos fazer emendas e derivações entre bitolas diferentes de cabos.

Mas reforço:

Caso você pegue uma instalação assim e o cliente não queira trocar os cabos, seja pelo motivo que for, recomendo que explique a ele todos os riscos que podem ocorrer e, de imediato, troque o disjuntor do circuito para proteger o cabo de menor seção existente.

Assim você garante que a instalação estará realmente protegida!

Um recadinho para aquela turminha que não gosta de seguir normas

Realmente as normas não são obrigatórias por lei. Simplesmente porque a ABNT não é um órgão público.

PORÉM, o Código de Defesa do Consumidor, em seu Art. 39 cita:

  • “É vedado ao fornecedor de produtos ou serviços, dentre outras práticas abusivas:
    VIII – colocar, no mercado de consumo, qualquer produto ou serviço em desacordo com as normas expedidas pelos órgãos oficiais competentes ou, se normas específicas não existirem, pela Associação Brasileira de Normas Técnicas ou outra entidade credenciada pelo Conselho Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Conmetro)…”

Sendo assim, meu querido, apesar da norma não ser lei, ela deve ser cumprida por força de lei. Fechou com 10?

Você pode ajudar encaminhando este texto para os amigos. Joga o link lá no grupo do WhatsApp, posta no Facebook… Onde você conseguir. Desta forma eles também ficarão sabendo porque não é recomendado diminuir a bitola dos cabos na caixa de passagem. Combinado?

Não se esqueça, também, de dar uma conferida no nosso treinamento. Venha fazer parte da ELITE dos ELETRICISTAS através do nosso curso.

👉 CLIQUE NESTE LINK para conhecer todas as vantagens do treinamento ELETRICISTA PROFISSIONAL 👈

Muito obrigado pela sua leitura e principalmente pela sua paciência. Espero ter ajudado você a sanar essa dúvida.

Grande abraço e até o próximo texto original aqui da Engehall.

Tchau e obrigado!

Compartilhe:

Mais Posts:

nr 35 trabalho em altura

NR 35 – Trabalho em Altura

NR 35 – TRABALHO EM ALTURA Publicação D.O.U. Portaria SIT n.º 313, de 23 de março de 2012 27/03/12 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria MTE n.º 593, de 28 de abril de

nr 10

NR10 Guia completo e atualizado

Se você trabalha exposto à eletricidade e quer continuar vivo até o fim do expediente, precisa conhecer a NR10. Ela é a norma que garante a segurança do trabalhador em

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.